07-A Tentação no Deserto PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

 

Introdução: -Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

O EVANGELHO DE JESUS: EPISÓDIO 7

A Tentação no Deserto” (Baseada no Evangelho de Mateus Cap4;1-11 e Lucas 4:1-13

 

E Jesus, cheio do Espírito Santo, saiu do Rio Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;E, chegando-se a ele o tentador, disse: “Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães”. Ele, porém, respondendo, disse: “Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.”


Então o diabo o transportou à cidade santa de Jerusalém, e colocou-o sobre o pináculo do templo, E disse-lhe: “Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra.”Disse-lhe Jesus:”Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.”


E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: “Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto,tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.”Então disse-lhe Jesus: “Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.”


Então o diabo o deixou por algum tempo.; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam.Jesus, porém, ouvindo que João,o Batista estava preso, voltou para a Galiléia;


 

COMENTÁRIOS: Você encontrará em terraespiritual.org , diversos textos que analisam a existência ou não de uma figura diabólica como Lúcifer. Mas vamos nos dedicar a análise do evangelho , isto é , da boa nova , que Jesus veio ao mundo anunciar. De que a redenção do homem está ao alcance de sua mão...mas vai depender de disciplina e de dedicação ao bem. Todo aspirante sincero passará por testes de serviço ao Deus Pai em serviço aos seus irmãos.

 

Logo após a unção batismal diante do povo, no Rio Jordão , o amado mestre Jesusse dirige para o deserto em retiro espiritual antes de dar início ao seu ministério. Após o momento em que , no Jordão , o Cristo Planetário , diante daqueles que tinham olhos de ver e ouvidos de ouvir ,declara que Jesus não era apenas seu filho espiritual, representante de seus negócios e interesses na Terra, mas era seu emissário profundamente amado .Era esse amor que seria testemunhado e espalhado entre os homens durante os próximos anos.Com a prisão de João,o Batista, por Herodes Antipas , a comunidade sequiosa por renovação espiritual se achava sem seu líder e mentor.

 

Quem poderia agora lhes mostrar o caminho para o “Reino dos Céus”?... O próprio João Batista forneceu esta informação ao afirmar que Jesus era maior que ele, João ...e mais importante , aquele que o mandou batizar, um espírito superior e seu guia ,tinha lhe afirmado que aquele sobre quem um Espírito Santo , como em forma de pomba, encobrisse...este seria o messias esperado. Joao aponta para Jesus como sendo aquele a quem deveriam seguir doravante.Com João Batista preso ,Jesus entendia que o circo se fechava e que o tempo corria contra ele, pois de um lado Herodes Antipas acabara de prender um símbolo de pureza e fidelidade às leis de Deus , o profeta João Batista , calando ,assim, “ a voz que clama no deserto”...e do outro, Pôncio Pilatos , Governador da Judéia , desafiando as tradições religiosas, introduz estandartes com as imagens do “deus vivo” César Augusto e das águias imperiais romanas, numa afronta direta ao deus verdadeiro e único de Israel. Jesus ,iniciaria assim o seu ministério, forçado pelas circunstâncias.

 

Todo judeu, desde a mais tenra infância ,repetia por três vezes no dia um fragmento do santo Shemá:” Ouve ,oh Israel..Só há um único e verdadeiro Deus.E somente a Ele amarás com toda a tuaalma , com toda a tua força e todo o teu coração ”A era de Pilatos , alinhado com Herodes Antipas e o Sumo Sacerdote, Caifás , e seu sogro o poderoso Anás, prenunciavam que tempos difíceis se aproximavam...

Mas voltando um pouco para o texto de hoje ,a narrativa revela que o amado mestre Jesus foi levado pelo espírito que o guiava , o Cristo e seus anjos ,ao deserto para a reflexão profunda sobre a natureza humana e os desafios que a criatura racional tem que superar,a fim de galvanizar na alma o diploma para o qual está se preparando. Jesus , um homem religioso e sintonizado com o Pai Celeste desde o ventre materno, ele mesmo não precisaria passar por testes...Parece pouco provável que o fato tenha sido testemunhado por discípulos ou que o próprio mestre o tenha confidenciado aos discípulos mais próximos.O misticismo e as lições que se encontram nas linhas e entrelinhas desafiam a razão e a própria fé. Ser testado por criaturas inferiores,ser transportado para pin´[aculo de um templo ou o mais alto dos montes têm todas as características daquelas parábolas reservadas a em poucas palavras traduzir todo um grande conteúdo.Se evitarmos as espinhosas florestas da fé cega,poderemos encontra a verdade que liberta ,por trás desta alegoria narrada por um escritor culto bem versado na escrita grega ( nos lembremos que os evangelhos foram escritos em grego muitos anos após a crucificação do amado mestre Jesus).

 

Pois bem...Jesus era judeu , e como um bom judeu não poderia aceitar a existência de uma figura diabólica, de um arqui-inimigo de Deus chamado Lúcifer ...que seria um arcanjo superior que se recusou a servir ao Pai Celeste no cuidado das criaturas humanas e que na sua rebeldia arrigementou um terço dos anjos do céu e que após uma batalha sem mortos e feridos foram exilados para este lindo planetinha azul ,onde desde então se dedicam a atazanar as mentes dos homens e provocar-lhes sofrimentos para que se afastem de Deus...

 

Não , Jesus não aceitava esta antiga lenda que os hebreus conheceram durante o cativeiro na Babilônia de Nabucodonossor...Não há na Torá nenhuma única referência ao capeta e seu complô...Tudo que havia ao tempo do mestre era a persistente adoração herética e escondida ao cananeu deus Baal , chamado pejorativamente de Belzebub... O inferno e seu chefe Satanás foram acrescentados à cultura cristã quando os gentios e pagãos do mediterrâneo greco-romano incorporaram as figuras do infernal Hades e seu responsável , o temível Plutão..

 

O verdadeiro opositor à construção do bem, contudo , está no coração e na mente humana. Não suportando a autorreflexão , autoanálise , os seres humanos sempre atribuem a uma força externa como causa de suas quedas e tropeços ,seus apegos, tentações e fraquezas... O fisiológico e o narcisismo egoísta , que há ainda em nós ,são as pedras de tropeço que sempre nos testarão na jornada e verificarão em que degrau da escada evolutiva nos encontramos.

 

Narram os evangelhos que o amado mestre Jesus realiza um retiro espiritual por 40 dias... repetindo , simbolicamente , a travessia que o libertador Moisés e o povo hebreu realizou séculos antes. O “povo escolhido” após a libertação material do Egito, também passou pelas tentações da fome, da sede e da idolatria... Nesta época ,com água e alimentos escassos e racionados , era fundamental exercer autocontrole .Segundo a Torá , no Exodus 34:28 , Moisés foi conduzido no deserto onde teria jejuado 40 dias e 40 noites sem comer ou beber nada... e assim o fez por duas ocasiões , conforme podemos ver em Dt 9:9-19 ...Também no deserto ,assim teria jejuado Jesus.

 

Outra figura importante para a cultura judaica , que também passou 40 dias e 40 noites sem se alimentar ou beber foi o profeta Elias , conforme pode-se ver em 1Reis 19:8...Vejamos que o número 40 tem um significado místico , velado. Vale lembrar que a arca de Noé teria ficado 40 dias e 40 noites à deriva , debaixo da chuva ...confiantes em Deus e em seus desígnios...e no final , Noé , sua família e os animais encontram , sãos e salvos , a terra firme...Deus esteve com todos eles, os acompanhando e protegendo. É disto que fala esta passagem parabólica: proteção e confiança divina.

 

Como se vê ,em Jesus estariam autoridades da Lei como Moisés e dos profetas , como Elias...

 

Contudo , pela lógica que anda de mãos dadas com a razão , é impossível um ser humano constituído de 65% de água ficar tanto tempo sem o que comer ou o que beber...Moisés ,Elias e Jesus eram íntimos de Deus , mas eram humanos e sujeitos às mesmas leis inderrogáveis. Esta passagem mostra de um lado , que uma força , uma pulsão humana poderia fazer-nos fracassar numa missão reencarnatória. Poderia ser o fisiológico ( fome, sede, desejo sexual) , o orgulho narcisista (transformar pedras em pães ou de conseguir um novo maná dos céus) , a vaidade (poderes espirituais, dons, carismas) ou ambição (poder temporal autoritário)...Os três que se encontrariam na tgransfiguração do monte Tabor, eram homens que oravam constantemente. Um homem que não ora é uma presa fácil de se abocanhar pelas trevas...

 

O inimigo interior, o opositor e sabotador inicia pondo em dúvida a filiação de Jesus ao verdadeiro Deus. Do mesmo modo , quantas vezes nós nos perguntamos se nos sentimos ou se agimos como filhos de Deus? Saber da Santa Paternidade, mas não senti-la ou vivenciá-la e voltar as costas para a nossa sagrada natureza...pode alguma coisa em nossa vida dar certo? E se somos filhos de Deus e assim nos sentimos...isto nos dá direito e autoridade para fazermos o que bem quisermos? Se eu tiver fome e se eu tiver a capacidade de transformar pedras em pães , quem me dá autorização para mágica ou miraculosamente assim proceder? Como dizem os filmes de Hollywood , “ com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”...

 

A questão primordial da primeira tentação , a fisiológica, é o autocontrole e a confiança na providência divina. O sabotador diabólico testa a confiança no Pai Celestial...sem improvisações , sem autobenefícios malandros e sem barganhas com Deus. Se sabemos que somos seus filhos, se sabemos que somos espíritos imortais , se sabemos que já nascemos e que já morremos incontáveis vezes...de que temos medo nesta vida? Da fome? Da miséria? Da penúria?...Como somos homens de pouca fé! O verdadeiro crente em Deus dispensa de atitudes malandrescas e oportunistas , confia em Deus e em suas leis...E nem só de páo vive o homem , mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.

O segundo teste de fé e moral que todo candidato sincero ao Reino dos Céus tem que passar é o teste da vocação espiritual, isto é , por toda sua alma, dons, carismas e capacidades a serviço de Deus...não em benefício próprio. Diferentemente do primeiro teste fisiológico , este é um teste moral. No caso em questão , há uma manipulação sofismática em torno do salmo 91 em seus versículos 10-12.O salmista deixa claro que a proteção divina não abrange aqueles que deliberadamente procuram o perigo. O amado mestre Jesus responde exatamente como o espírito de altivez daquele que confia na proteção divina e não na autoproteção e nos próprios poderes e capacidades, agindo com a sabedoria da humildade de reconhecer que tudo no Universo provém de Deus e somente Ele ,o Divino Pai , deve ser exaltado , ficando nossos dons e capacidades não para exibição vaidosa , mas sim como objeto de serviço discreto à humanidade. Aquele que não se envaidece de servir ,pode até não servir mais , porém serve melhor.Jesus , nesta alegoria, demonstra nas entrelinhas que também vence a tentação da idolatria...por mais poderoso que fosse, ao ponto de dar ordens em anjos...ele não é o próprio Deus,pois o Deus Altíssimo só há um .Ensinaria mais tarde que “eu e o Pai somos um...quem me vê vê ao Pai(pois há unidade de pensamento)...mas o Pai é maior do que eu(seu filho e servo)”.

 

O terceiro teste é exatamente aquele em que a maioria da humanidade tropeça...o da autoridade. No caso em questão é oferecido um poder temporal que seduz a qualquer aspirante a tirano, déspota ou usurpador. Mas nem só do poder temporal fracassam os candidatos invigilantes. O poder de mando e comando , a autoridade sobre outros , a capacidade de liderar quando não são exercidas por covarde negligência ou quando exercidas com autoritarismo refletem a falta de sintonia com o pensamento da harmonia das leis de Deus. Não será por decreto ou por uma mágica canetada que resolveremos os problemas do mundo e as nossas dificuldades. A desarmonia exterior é um reflexo da nossa confusão interior.

 

Do que foi exposto , a razão e a lógica nos mostram que se for tomado ao pé da letra , esta passagem do evangelho de Mateus causaria profunda dificuldade do estudante sincero entender o ensinamento embutido nas sábias palavras do Mestre Jesus. Aquele que é perfeito não precisa ser testado simplesmente porque já é perfeito. Aquele que tem comunhão com Deus não necessita de testes simplesmente porque o pensamento em íntima sintonia com o pensamento de Deus se mostra firme e incorruptível.Logo conclui-se que se trata de mais uma parábola alegórica do discípulo fiel e vencedor , atribuindio-se a Jesus a personagem, como se este precisasse de um teste para galgar um degrau a mais na sua elevada hierarquia.

 

Os verdadeiros discípulos do Mestre Jesus precisariam usar toda a força intelectual, moral, espiritual em não se deixar levar pelas impressões deste mundo fossem elas de natureza fisiológicas, necessidades de reconhecimento, vaidade, egolatria.

 

A tradução desta passagem significa que todo aquele que se candidate de fato a ser discípulo do Amor, Do Bem e Servo Sincero de Deus tem que fazer um severo jejum e oração ,isto é , ter autodomínio e habilidades morais para não se deixar levar por sugestões do mundo ,por corrupções sensoriais e mentais. O jejum não era apenas o de alimento ,o mais fácil , era o jejum das paixões,do egoismo, do julgamento, da ira, da maledicência, da inveja,da comparação...todos estes laços que nos fazem tropeçar e negar as lições que rotineiramente ano após ano tentamos seguir.

 

O deserto não é apenas um local de solidão ,mas um local de silêncio onde podemos com boa vontade ouvir a voz de Deus dentro de nosso coração nos convidando à renúncia dos apegos transitórios, das glórias e das vanglórias, dos apetites de mandos,comandos e desmandos....quanto mal já foi feito em nome de Deus ao longo da história?No deserto podemos ter tempo e condições de nos encontrar e reencontrar com o caminho para Deus.

 

O primeiro teste que todo aspirante sincero ao serviço do Reino de Deus ,é o das necessidades ou falsas necessidades fisiológicas. Alimento, sexo, olfato, conforto material...muitos trairam por um prato de lentilha ou por um minuto diante de uma dança sensual. O guerreiro treinado na reflexão reconhece na imagem refletida em sua retina ecos de ilusão impermanente e sem consistência que o tempo se encarregará de desidratar, enrrugar e esvaziar de sentido. Do mesmo modo o estômago inicia-se na boca que se abre para devorar ou um pedaço de pão, ou um pouco de vinho , ou um pedaço de mundo e lugar debaixo do sol...de que você tem fome? De paz, de Amor, de sensação? De poder? A fome em cada um é variável.O verdadeiro buscador sabe disso e não troca o pão espiritual por migalhas entorpeçentes de trigo e aveia. Tão pouco usaria seu poder mental de autocontrole para deixar de confiar na grande realidade ( que a morte é uma ilusão) para confiar-se na fantasia de que um pedaço de alimento pode prolongar-he a existência no planeta.

 

Também não usaria seus poderes espirituais para autobenefício. O servo , serve...não se serve. O Senhor é seu pastor e saberá cuidar na hora certa e da forma certa. Seus dons e carismas ,sua mediunidade e paranormalidade ,suas profecias não são para espetáculo e sim para exprimir a glória do Pai a serviço da humanidade .Não lhe pertence ,logo não pode vender ou barganhar...dáde graça o que de graça recebeu.E o verdadeiro aspirante ao Reino do Pai naõ se venderá pelo poder temporal, pois é ainda que seja resistente, o Everest um dia será areia de praia...mas a graça de Deus é de graça e É atemporal. O servo do Senhor ,para ajudar serve como pode....serve ao povo, não se serve dele.

 

Logo, todo aquele que quiser apenas se esconder debaixo das sombras do Onipotente ,pode até encontrar abrigo, mas não encontrou a Verdadeira Paz. A paz do Senhor é feita de luta , levantando o homem novo a sua espada contra o homem velho...cortando o laço que os une.A jornada é solitária onde o verdadeiro discípulo renuncia ao si mesmo , carrega sua cruz de deveres e obrigações e segue de muito perto seu Mestre Celestial e Amigo de Todas as horas.O Aspirante ao reino torna-se profeta, denunciando o erro e anunciando a solução. Caminha de cabeça erguida e feliz, mesmo diante de sua própria dor, pois sabe que ela é ilusória e passageira.Sabe que também será traído e vendido no mercado do mundo....mas aquele que perseverar até o fim triunfará.

 

Aproveitamos a ocasião e convidamos você a ouvir, refletir e compartilhar os outros episódios desta série “O Evangelho de Jesus” em nosso site em http://terraespiritual.org .Ao mesmo tempo ,aproveite para fazer reflexões meditando nas mensagens da série “Pod Contar” , “Em Paz Profunda” e faça investigações sinceras e maduras estimulado pelo popdcast “Pod Acreditar” ...ajude Jesus a fazer deste mundo uma terra mais espiritual.

 

 
Joomla SEO by AceSEF