15 - A Cura de Um Paralítico PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

 

     

 

Introdução: -Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire (Sissel Kirkjebo)

 

 

O EVANGELHO DE JESUS EPISÓDIO 15: A CURA DE UM PARALÍTICO

Baseado no evangelho de Marco cap 2 :1-12

 

“E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa.E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra. E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro.

E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico),A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.”

 

Comentários: O cenário era a Judéia dominada pela águia romana no reinado do imperador Tibério , sucessor do divinizado César Augusto. A Judéia globalizada pelo Império Romano , tinha que viver em meio à aculturação helênica .Porém a tradição judaica ainda via o Deus de Abrão, Isaac e Jacó ..o Senhor dos Exércitos ...e único Deus  num horizonte não muito distante , que viria sobre a figura de um messias profetizado e que libertaria o povo do jugo romano , como outrora Moisés o fizera na libertação do cativeiro egípcio.

 

Jesus se parecia com tudo , menos com um messias profetizado. Sua linguagem doce , sua mensagem de paz, amor ,de tolerância para com os adversários e  de fé inabalável , apesar das aparências de derrotas materiais, contrastavam com o que era esperado de um grande herói.

 

Aquele homem, de forte sotaque galileu , nascido na ínfima e desprezível cidade de Nazaré  ( de onde nada poderia sai de bom) , que foi ungido pelo profeta João batista , e que não tinha nem sequer onde reclinar sua cabeça , parecia mais um pregador intinerante , um curador gratuito ,um poeta ,ou um rabino...mas não parecia como um messias esperado. Porém aparentava uma aura de paz, um clima de prosperidade , uma boa nova em suas pegadas...trazia algo de novo.

 

Outra novidade apresentada por Jesus , era que Deus não se apresentava como um “todo-poderoso” distante , mas sim como uma presença próxima e aconchegante. Os homens de sua terra, sempre tiveram medo de falar diretamente com seu criador (talvez por falta de intimidade ,ou de fé mesmo) , logo recorriam a intermediários como sacerdotes, profetas ou seres espirituais como os anjos. Tal era o temor ao criador dos mundos que seu nome não era pronunciado , passando a chama-lo indiretamente por alcunhas como “Senhor”, “Deus do Céu”,”Senhor do Céu”, “Senhor dos Espíritos” , “Grande Glória” ,”Divina Presença”, “ Sabedoria”e mais popularmente de “ Deus Altíssimo”... Mas foi o amado mestre Jesus que o chamou simplesmente de Abba (“paizinho querido”), conforme as crianças israelitas chamavam seus pais. Desta forma, Jesus reapresenta Deus na vida das pessoas, não como um ser distante ou ausente ( como era visto no judaísmo de seu tempo),mas  sim como oSer presente. E para tal ,Jesus traz Deus para a experiência do dia-a-dia, orando constantemente seja para pedir, agradecer ,louvar ou simplesmente manter a sintonia com o mais alto , de onde retirava as forças para suas tarefas. A partir de Jesus, Deus é visto como Pai , e seu nome é exaltado e louvado como um grito de liberdade...diferente de antes , quando era quase um gemido de escravo que teme o seu Senhor. A partir de Jesus, o nome de Deus é aclamado e celebrado...já não há escuridão...só há luz !

 

Pois bem , o amado mestre Jesus volta para Carfanaum após ter semeado nas aldeias vizinhas , as sementes de esperança e de ação. Desta vez o cenário vai ser diferente ,pois agora todos queriam velo e ouvi-lo , não apenas “uns poucos gatos pingados” curiosos com sua figura de pregador intinerante. Vinham a ele com abelhas atraídas por mel...o mel que anestesia as feridas. Jesus agora estava numa casa ,provavelmente de Simão Pedro ou Cefas...Todos se apertavam e se aglomeravam como um caloroso bolo humano , não permitindo nem a entrada, nem a saída de ninguém.

 

Eis que se aproxima para entrar um paralítico , carregado por seus amigos , que certamente havia ouvido falar daquele santo homem, que a outros curara sem nada cobrar e que espalhara notícias de esperança, fé e prosperidade existencial...não prometia sucesso financeiro, o  amado de volta , a cura de nenhuma mazela ou o reino dos céus para aqueles que aderissem ao seu grupo... Ele apenas exalava amor, ternura e realização. A cura acontecia expontaneamente ,ao acreditar que aquele era um homem diferente dos outros homens...não era animalizado...era humanizado, humano amor !

 

Ao tentar entrar, depararam-se com um imprevisto...a barreira humana que os impedia de atingir o objetivo de falar com o mestre galileu...isto tornava o sonho mais distante, precipitando o crescimento de uma forte ansiedade no grupo. Estes homens ,por fraterno amor ao seu amigo , num  momento de desespero tomaram uma medida desesperadora...criativamente, sobem ao terraço e abrem um buraco , uma passagem para a descida da maca improvisada.

 

Com certeza deve ter provocado  espanto nos presentes à sala e surpresa aos discípulos e expectadores fora da casa...mas não ao mestre nazareno. Este certamente a tudo observava, com meiguice e compaixão. Ele que gostava de ensinar a partir do cotidiano , agora tinha diante de si um quadro da fé que remove montanhas...pelo menos da fé que remove os tetos de dificuldades. Movidos pela fé , estes homens enfrentaram o medo e os perigos de um desmoronamento da casa ou dos prejuízos que pagariam pelos danos materiais à casa. Estes eram realmente homens de fé.

 

A plateia, boquiaberta ,contemplava  um estranho espetáculo. Um homem paralisado , certamente por um castigo de Deus ,pois assim pensavam , buscava o rabib Jesus.   Mas o amado mestre Jesus , como um embaixador do Reino  de Deus na Terra, apresenta o amor incondicional . O paralitico , coitado não anda , não move os braços, não fala...apenas existe. Quem ama de verdade, pondo-se no lugar daquele homem , gostaria de ser  a voz , os braços e pés daquele homem. Este homem , que em algum momento  falava, cantava, dançava e ia para onde desejasse , agora dependia da boa alheia e teria que se contentar com seu destino... a menos que um milagre de Deus acontecesse ...e Jesus , faz este milagre acontecer.

 

Jesus afirma em tom solene para que todos ouçam: “teus pecados estão perdoados” . Os fariseus ,então , condicionados pela letra que mata , imediatamente questionam , para depois acusar “Por que este homem fala assim? Ele está blasfemando!”. A blasfêmia ,está escrito , era punida com o apedrejamento(Levítico 24:16) . O objetivo de sua presença era desqualificar  o doce rabib , e se possível , silenciá-lo ,para que a tradição da hipocrisia religiosa pudesse permanecer no altar intocável.

 

Os pecados , segundo a tradição da lei , a Torá, eram perdoados através do sangue derramado dos sacrifícios dos animais. Na proposta do amado mestre Jesus , não havia uma única gota de sangue animal a ser derramado....apenas a misericórdia tinha o protagonismo fundamental na ação.

 

Curado , o agora ex-paralítico, reanimado e revigorado sai ,levando consigo a maca improvisada. O povo , que nunca antes tinha vido algo assim , agora tinha marcado na alma uma lição para  nunca esquecer. Os fariseus ,pelo contrário ,ao invés de humilde admissão de bendita surpresa diante dos fatos , passam a buscar argumentações para  burlar o milagre , e enquadrar o mestre amado , no código das transgressões à honra da Torá e dos escritos do profeta Moisés. A letra fanática tem sede por sangue .E o ministério do amor  que salva ,ilumina e redime estava apenas começando....

.....................................

Não deixe  de compartilhar com seus amigos das redes sociais nosso  áudio-projeto “ O Evangelho Comentado de Jesus”. Aproveite e ouça também os episódios anteriores . Você vai gostar.Pode Acreditar!

 

 

 

 
Joomla SEO by AceSEF