21-Ser Discreto Para Ser Eficaz PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

Introdução-Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

 

O EVANGELHO DE JESUS - EPISÓDIO 21 - SER DISCRETO PARA SER EFICAZ

(Baseado no Evangelho de Jesus Segundo Mateus 12:13-21 e Marcos 3:7-12 )


E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem.Jesus, sabendo isso, retirou-

se dali com os seus discípulos para o mar, E seguia-o uma grande multidão da Galiléia e da Judéia, e de

Jerusalém, e da Iduméia, e de além do Jordão, e de perto de Tiro e de Sidom; uma grande multidão que,

ouvindo quão grandes coisas fazia, vinha ter com ele e ele curou a todas.

E recomendava-lhes rigorosamente que o não descobrissem,Para que se cumprisse o que fora dito pelo

profeta Isaías, que diz: “Eis aqui o meu servo, que escolhi,o meu amado, em quem a minha alma se

compraz;porei sobre ele o meu espírito,e anunciará aos gentios o juízo. Não contenderá, nem

clamará,Nem alguém ouvirá pelas ruas a sua voz;Não esmagará a cana quebrada,e não apagará o

pavio que fumega, até que faça triunfar o juízo ; E no seu nome os gentios esperarão.”

E ele disse aos seus discípulos que lhe tivessem sempre pronto um barquinho junto dele, por causa da

multidão, para que o não oprimisse. Porque tinha curado a muitos, de tal maneira que todos quantos

tinham algum mal se arrojavam sobre ele, para lhe tocarem.E os espíritos imundos vendo-o, prostravam-

se diante dele, e clamavam, dizendo: Tu és o Filho de Deus.E ele os ameaçava muito, para que não o

manifestassem.

COMENTÁRIOS: Como vimos em nosso último encontro no episódio 20 (“O Homem da Mão Paralítica”

), os ensinamentos de Jesus denunciaram a hipocrisia dos fariseus e o quanto na verdade todos

estavam preocupados com a formalidade da estrutura religiosa, porém desnudos de nobres valores

espirituais. A cegueira , a surdez e a paralisia da boa-vontade dos fariseus é que era digna de piedade e

compaixão. Contudo , o amado mestre Jesus sabia , que esta “metanoya” , isto é , esta transformação

não aconteceria de “fora para dentro” e sim de “dentro para fora”, a partir de um entendimento, uma

compreensão e uma mudança real de atitudes dos “ doutores da lei”. Ele sabia que cada um deles teria

um tempo certo para despertar e redescobrir o caminho de volta à casa do pai celestial.

Como os religiosos fariseus ,ressentidos pela derrota da disputa em torno da “lei do sábado” ,se aliavam

agora ao braço político do poder temporal , os herodianos , e tramavam um plano de o matar , Jesus,

que mal tinha iniciado seu ministério de sair a semear as sementes do “ reino dos céus” , escolhe a

estratégia de se afastar do incêndio provocado pela fogueira das vaidades dos fariseus.Jesus elege a

beira-mar para em novos ares, reabastecer suas baterias e dar prosseguimento ao seu projeto de

renovação das criaturas.Foi ali que ele fez o convite pessoal a alguns pescadores , para que deixassem

a redes de lado e se tornassem pescadores de homens...eles estavam aprendendo que isto não era

uma tarefa nada fácil.

Contudo, desta vez não era mais um pequeno grupo como aquele do pátio da casa de Pedro , eram

multidões que sabedora de suas virtudes como profeta, pregador do otimismo do “ reino dos céus” e

curador gratuito , vinham de todas as partes para acompanhá-lo, ouvi-lo e quem sabe , tocá-lo e obter

alguma benção às suas mazelas e perturbações espirituais.E vinham dos quatro pontos cardeais:

-do Sul ( Judéia,Jerusalém e Induméia)

-do Leste (do outro lado do Jordão , como as cidades de Gadara,Gerasa, Filadélfia e Damasco)

-do Norte (Tiro e Sidôn)

-do Oeste , onde fica o Mar Mediterrâneo , onde alguns curiosos vieram a saber de sua existência.

O evangelista Mateus, que escrevia para a comunidade judaico-cristã , relembra o profeta Isaias 42:1-4

.Jesus não viera , como Moisés , para um povo escolhido por Deus , e sim para todas os homens e

mulheres de boa vontade e de todas as nações, raças, credos que identificassem o bom, o belo e o justo

da parte de Deus. Só quem detivesse boa-vontade na alma poderia sintonizar-se com os planos

superiores e coletar na alma a irradiação divina ,e assim motivar-se por caminhar confiante no rumo do

amanhã. Jesus , que nascera judeu e que pregava a Toráh em sua máxima expressão , não conseguira

impressionar,estimular ou convencer seus compatriotas. Havia muita escuridão e rebeldia em suas

almas para uma tão necessária revolução.O próprio Isaias , que havia sonhado com o povo voltando-se

para Sião ou Jerusalém transformada , nem sonhava que agora o centro do Reino , era Jesus.

Jesus solicita aos seus discípulos que “ não o descobrissem” , isto é que não o revelassem às massas ,

pois além de não ser a cura de enfermidades o seu principal foco missionário e sim a cura das

enfermidades da alma através da pregação do evangelho do reino de Deus , como se pode conferir em

Lc 4:42-43 ,pedia que sempre tivesse por perto um barquinho para que ,na água , de dentro do barco,

pudesse pregar sem que a turba se machucasse (Lc 5:3).

Cada vez mais distante das sinagogas e cada vez mais dentro do dia-a- dia do povo , o doce rabib era a

luz em noite escura da vida daqueles que tinham olhos de ver e ouvidos de ouvir.Os “sábios e doutos”,

que não precisavam de médicos da alma, por sua vez, enviavam espiões para saber por onde andava e

o que fazia “ o filho do carpinteiro” .

Se eles se recusavam a ver e ouvir pelo próprio discernimento ,a roda dos renascimentos os faria

amadurecer pelo “ ranger de dentes”, já que o amor não os conquistou e demoveu de posições erradas,

orgulhos e narcisistas .Os publicanos e meretrizes ,diziz o mestre amado , por não terem má-vontade

como pior vício, entrarão primeiro que os fariseus na plenitude da autotransformação (Mt 21, 31).

Contudo , Jesus é mestre de sabedoria e amor encarnado. Não se abate com a incompreensão e nem

faz porrete de sua autoridade e palavra sacrossanta. Não quebra a cana já rachada pelas imperfeições

morais e imaturidade e nem tão pouco apaga o pavio da alma que jaz em trevas...pelo contrário, seu

nome significa cura e salvação. Ele se propõe , até o último suspiro a reerguer a alma caída e apontar a

direção de saída do labirinto do sofrimento do apego , da ilusão e da falta de discernimento.Tudo tem

seu tempo , e aqueles que hoje o perseguem , haverão de ser seus propagadores em momento

oportuno...quem sabe nesta vida, como o fariseu Saulo , de Tarsus ...quem sabe em vidas futuras como

nós , que até hoje ensaiamos dar os primeiros passos na aceitação e na mudança real de vida.

Constantemente em sintonia com Deus , com seu espírito de discernimento em plenitude , a atenção em

todos os detalhes da vida fazia ao doce nazareno alertar sobre a necessidade de ser discreto para ser

eficaz. Não era necessário que o povo ignorante e chegado a uma idolatria, fizesse dele, mensageiro de

Deus um ídolo , mas sim que aderissem à mensagem de Deus aos homens: que eles não estão

abandonados à própria sorte, que são espíritos imortais cheios de tesouros virtusos e que são todos

irmãos e filhos do mesmo pai celestial.

Espíritos fisiologistas e demagogos ,percebendo a extensão da cintilante envergadura do amado mestre

Jesus , prostando-se , começam a bajular-lhe os dons morais , sem conquistar a menor simpatia ou

enlevo . A estes espíritos imperfeitos, obsessores e apegados ao plano das paixões materiais ,que

zombeteiramente se divertiam convivendo com aqueles que se achavam ainda encarnados nas

experiências da vida material ,lhe dedicava uma orientação imperiosa com autoridade moral de que se

calassem e não revelassem sua real natureza de espírito puro.

O nobre mestre Galileu via agora mais pedregulho , um elemento na sua estrada a querer servir de

pedra de tropeço: o baixo mundo espiritual o acompanharia de perto e faria alianças mentais com todos

os homens e mulheres de má-vontade , a fim de perturbar a construção de uma nova era para aqueles

que desejassem libertar-se da roda dos renascimentos neste planeta de provas e expiações.

Contudo , Jesus veio ao mundo para que todos tivessem vida plena...e para isso , como um bom

semeador que sai a semear em vários campos, dando-lhes oportunidade de produzir conforme suas

capacidades e como um bom pastor que dá vida por suas ovelhas , ele não desistiria de sua missão até

cumpriri-se o ultimo” til” ou “iota”.

E nós ...será que estamos prestando atenção aos sinais presentes nos quatro cantos do mundo

material de que nosso momento de decisão chegou? Será que percebemos quanto fraco ou quanto forte

nossa alma tem se tornado nos últimos tempos? Será que estamos desejando que caia do céu uma

“salvação fácil” ou estamos construindo um projeto de vida a partir das orientações deixadas no

“Evangelho de Jesus”?

.....................................

Não deixe  de compartilhar com seus amigos das redes sociais nosso  áudio-projeto “ O Evangelho Comentado de Jesus”. Aproveite e ouça também os episódios anteriores . Você vai gostar.Pode Acreditar!

 

 

 

 
Joomla SEO by AceSEF