23-A Descida Com Os Apóstolos PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

Introdução-Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

O EVANGELHO DE JESUS  / EPISÓDIO 23 / A DESCIDA COM OS APÓSTOLOS
(Baseado no Evangelho de Jesus segundo Lucas 6:17-19)


E descendo com eles, parou num lugar plano, onde se achava uma multidão de seus discípulos e muito povo de toda a Judéia, de Jerusalém, e do litoral de Tiro e de Sidon, que vieram para ouvi-lo e ser curados de suas enfermidades.
E os que eram atormentados por espíritos atrasados ficavam sãos...e todo o povo procurava tocá-lo, porque saía dele uma força que os curava a todos.

COMENTÁRIOS:Como vimos no episódio anterior , o amado mestre  Jesus havia feito um retiro para meditar , junto com diversos discípulos  afinizados e magnetizados pela  sua sabedoria , subindo a um monte  , provavelmente próximo de Carfanaum , distante dos olhos indiferentes  ou hostis dos fariseus e saduceus ,  no altar da Natureza.

Os  simpatizantes e seguidores já estavam familiarizados com o métodos de ensino do  doce rabib , que utilizava de situações do dia-a-dia  ou da própria natureza para gerar  através de diálogo  uma resposta instantânea , vindo do fundo da alma ,de cada ouvinte e candidato a praticante de sua nobre mensagem.

Cada membro que deixava de ser simpatizante de sua mensagem , para tornar-se seu discípulo , ganhava progressiva e sitematicamente uma lucidez que permitia não apenas a ver as verdades do evangelho , possibilitando-os a resolver os próprios problemas , conflitos e sofrimentos  , mas também ganhava maturidade na sabedoria de repartir o pão espiritual com os demais irmãos do caminho , mesmo aqueles que fossem hostis à mensagem do Cristo. O amor , para ser amor, tem que ser indiscriminativo ( fazer o bem sem olhar a quem) ,  incondicional(amor ao bem por amor ao bem , sem pensar em prêmios ou recompensas) e equanime (fazer ao outro somente aquilo que gostaria de fizessem consigo e falar ao outro como se estivesse falando consigo mesmo ).

Os discípulos mais  contaminados pelo  vírus do amor, relembravam progressivamente   os esforços  realizados em vidas passadas em busca da luz, que lhes possibilitou modificar condicionamentos e dissipar preconceitos e superstições. A semeadura de vidas passadas  desabrochava agora , no encontro com o Cristo , permitindo-lhes ver o Mestre de Sabedoria e Amor  como sendo   a Sabedoria e o Amor  vivos. Os diversos discípulos diretos do poeta Galileu , pressentiam que o encontro com Ele era preciosa oportunidade que não mais se repetiria e  que não deveria ser postergada.

Muitos , que em vidas passadas , nunca se preocuparam  em desenvolver virtudes e que se agarraram às ilusões de uma vida transitória , ao estar diante do Cristo , nada sentiram , nada perceberam e até se lhe opuseram , pois , insensíveis e indiferentes  , se portavam como cegos em direção ao abismo de si mesmos.Nem se davam ao trabalho de questionar  a possibilidade da mensagem do Mestre Jesus ,ser verdadeira, pois havia pressa em conquistar e usufruir dos prazeres fugazes como também  de mitigar e fugir dos sofrimentos da vida comum . Alheios ao real processo de iluminação interior e da libertação espiritual  , terminavam adiando por muitas vidas o momento de ruptura com o mal.

Todos aprenderam que o  amado mestre Jesus era diferente de tudo que era conhecido...era bem melhor. Suas palavras não emanavam conceitos que estimulavam o raciocínio , mas sim nobres sentimentos que tocavam os sensíveis corações...seus gestos eram ensinamentos por si mesmo e suas ações condizentes com sua pregação. Não havia mácula em sua admoestações  e nenhum interesse em diminuir quem com ele dialogasse , mas sim  cutucava o  que de melhor havia de adormecido na alma  de seus interlocutores. Seu carisma era natural como o aroma de flores e beleza de uma noite estrelada...ele era um mestre autêntico...e isso despertava interesse nas multidões ...como também o orgulho e a inveja de outros.

Quem com ele andava e tentava aprender e por em prática , sentia a segurança da caminhada espiritual , sem se preocupar angustiadamente com as dificuldades deste mundo. Seus discípulos sabiam que era muito longo o caminho até a libertação e que as sementes interiores estavam apenas   amadurecendo no solo espiritual...ainda teriam que germinar, crescer ,desabrochar e dar frutos.
O amado mestre Jesus , como um judeu praticante , um rabib e profeta advertia que “seu jugo era suave  e seu fardo era  leve” , isto é, não oferecia o jugo dos 613 mandamentos como os demais rabinos de seu tempo  com o fardo de suas interpretações que sobrecarregavam a alma dos ouvintes. O  excelso mestre oferecia um fardo suave com suas orientações práticas que uma simples criança, em sua simplicidade , poderia executar, para viver em harmonia...seu jugo era leve , o perdão e o amor incondicional entre todos ( afinal de contas, como se poderia dizer amar a Deus a quem não se conhece  e dizer que odeia ao irmão que mal conhece?).

Sem que percebessem , a mensagem do Cristo fazia reflexo na mente dos discípulos sinceros ...e estes sentiam mais fome e sede de esclarecimento...Através dos renascimentos sucessivos , as mentes dos discípulos haviam renunciando gradativa e progressivamente ao mal, se aproximando das pegadas do Bem ,encontrando as trilhas que levariam à estrada de volta à casa do Pai Celeste ....com a busca espiritual iniciada decididamente em vidas passadas, estavam treinando e se preparando para estar prontos pros ensinamentos ( como discípulos)  , para que o mestre pudesse aparecer e ensinar sem bloqueios ou dificuldades.O mérito de encontrar o Cristo Jesus não era por acaso...

Cada discípulo estava se preparando para compartilhar o caminho , verdade e vida... No futuro , quem desejasse conhecer o evangelho de Jesus , o veria  e o reconheceria  não nas palavras...mas na mente , nos esforços e na prática dos discípulos pregadores.

Todos não seriam imunes às situações difíceis e dolorosas do cotidiano...mas por paciente e diligentemente se esforçarem em vivenciar os ensinamentos do mestre Jesus , até mesmo uma vida de dureza e desfavorável  ( do ponto de vista material) , estaria  com as cores e aromas de tranqüilidade e serenidade  , sem afetação pelas aparências , mas animadas pela realidade de uma mente  rica de vida plena.É neste ambiente do cotidiano que o amado mestre Jesus ensina  e consegue atrair pelo exemplo , orientando seus discípulos e seguidores a remover suas enfermidades sutis na alma e renovar suas atitudes.

Mas foi necessário ampliar seu projeto para que uma boa semente gerasse uma floresta. Na noite anterior , reuniu-se com seus diversos discípulos , todos orando e vigiando entram em comunhão e paz profunda...esta situação seria  totalmente oposta à última noite no Jardim do Getsemani , quando apenas o mestre nazareno orava  e todos os demais dormiam invigilantes.

De todos, o amigo incondicional de nossas vidas escolhe a dedo doze discípulos ,para  com a bagagem individual semear conforme  podiam junto a todas as camadas , de forma equânime...os pescadores compartilhariam o pão espiritual do evangelho com os simples...os cultos com os aristocratas e comerciantes...os doutos com os mais intelectualmente favorecidos. A cada um segundo sua capacidade de apreensão. Provavelmente, apenas os fariseus  orgulhosos e os saduceus vaidosos e invejosos não conseguissem entender a mensagem ou o exemplo prático , mesmo diante de seus olhos. Estavam  tão aprisionados em suas crenças e superstições , apegos pelo poder e narcisismo , que nem mesmo a luz  em densa trevas lhes faria abrir os olhos...voltados intensamente para si mesmos ( a raiz do egoísmo e do amor ao si mesmo tinha se aprofundado demais e a acomodação às mordomias era forte demais para ser movida).

Jesus desce à planície onde multidões , sabendo de sua permanência por ali, o aguardavam em busca dele e retirar-lhe  uma benção pelo toque, ou uma palavra de consolo , ou até mesmo uma palavra que expulsasse espíritos obsessores.Muitos roubavam-lhe energias , quais vampiros desesperados  e desesperançados ( bem diferente daquela mulher hemorroidária que cheia de fé roubou-lhe um pouco de força  no meio da multidão, e ele percebeu a poderosa e viva fé desta mulher e quis que ela se denunciasse).

A multidão formada , à beira do monte ,queria muito uma benção...mas Jesus estava lhes reservando uma chuva delas , que seria conhecida no futuro como “ o Sermão do monte”, e resumiria as bibliotecas de sabedoria do mundo todo em todos os tempos ....

Se você gostou  e sentiu-se beneficiado por este episódio , ajude a construir uma terra espiritual, compartilhando este  áudio nas redes sociais , ajudando a obra do Cristo.Há muita gente precisando destas boas novas..

.....................................

Não deixe  de compartilhar com seus amigos das redes sociais nosso  áudio-projeto “ O Evangelho Comentado de Jesus”. Aproveite e ouça também os episódios anteriores . Você vai gostar.Pode Acreditar!

 

 

 

 
Joomla SEO by AceSEF