25- Aqueles Que Choram PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

Introdução-Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

O EVANGELHO DE JESUS / Capítulo 25 – “ Aqueles Que Choram “ / Baseado no Evangelho de Mateus Cap 5



Vendo Jesus a multidão, subiu ao monte; e depois de sentar-se, aproximaram-se dele seus discípulos, e, tendo erguido os olhos abrindo a boca, ele lhes ensinava, dizendo: felizes os pobres de Espírito, porque deles é o reino dos céus;felizes os que choram,porque serão consolados...

COMENTÁRIOS: Nossa análise continua do ponto onde paramos em nosso último encontro . Logo após o amado mestre Jesus ter

descido do monte , próximo de Carfarnaum , onde passara a noite em oração com seus diversos discípulos e em seguida ao

descer , elegeu a doze deles como seus representantes e emissários. Vendo a multidão que os esperava , com diversos interesses,

notava que a maioria era composta de homens e mulheres de boa vontade, ansiosos por uma palavra de esperança e de fé para

suportar as dificuldades numa sociedade cada vez mais egoísta, exclusivista e que competia uns pisando sobre os outros para

subir na fugaz escada da vida.

Inicialmente ,dirigiu suas palavras de vida eterna para os pobres de espírito, conforme foi elucidado no episódio passado.Agora

chegou a vez de dedicar consolo àqueles que choram. A sabedoria do doce rabib , transcendia a física costumeira que vincula

garaganta de um aos ouvidos dos outros... Em Jesus o fenômeno era metafísico , pois o significado real saia das profundezas do

coração , indo , nas ondas sonoras emitidas por suas cordas vocais , atravessando os tímpanos de seus interlocutores,até ecoar

no âmago da alma alheia , reverberando um significado diferente para cada pessoa, evocando reações de paz , esperança e amor.

Na Judéia do primeiro século ,uma multidão é mantida sob o cabresto do domínio político , econômico e religioso .Sacerdotes,

,juízes, administradores ,políticos e tiranos inescrupulosos de todas os tipos usavam do povo como massas de manobras segundo

seus interesses e conveniências. Seus sofrimentos eram lenha que mantinham acesas as chamas luxuriantes de poderosos

corruptos e insensíveis, disfarçados de condutores respeitáveis.Se serviam do povo ao invés de servi-lo.

Na multidão que o ouvia , muitos choravam amargamente , mesmo sem lágrimas visíveis a escorrer pelos rostos:

-Há aqueles que fugiram dos próprios deveres , semeando espinhos e urtigas, pensando em gozar de boa-vidagem e lazer... mas

eis que agora vendo os amargos frutos despontando , choram pela tarefa que os aguarda na reparação e no reequilíbrio do

campo da vida...suas lágrimas são injustificáveis e a preguiça má conselheira. No entanto para estes , o consolo reside na

paciência, e tolerância nascida do reconhecimento da própria fraqueza moral , na percepção da indolência acalentada e no

amadurecimento da resilência que lhes descortinará novas oportunidades num amanhã renovado que se aproxima;

-Há aqueles que sofrem por não poder desfrutar das aparentes benesses das vidas alheias ,invejadas e cobiçadas até apertar o

peito na forma de despeito e rancor, azedando a forma de ver a vida ou o destino , culpabilizando as próprias imperfeições e

limitações às forças do destino ou ao próprio Deus ( como se este acordasse de mau humor e nele descontasse sua ira);

-Há aqueles que sofrem por não degustara falência moral ou bancarrota econômica de seus desafetos , remoendo ódio mortal ao

ponto de se equivaler àquele que bebe veneno para que o outro padeça;

-Há aqueles que lamuriam não poder deitar-se eternamente em berço esplêndido ou em rede à sombra de majestoso coqueiral ,

regado à refrigerante limonada , bafejado pela brisa marinha , na mansidão de um ócio nada criativo...pelo contrário , necessitam

ter que enfrentar a enxada do mundo real arando e produzindo conforme a própria capacidade treinada nos bancos técnicos de

uma oficina ou de uma universidade, esquecendo-se de que faz parte de um mecanismo social, da qual é pequena peça

importante a colaborar com a harmonia;

Não ...não é a este tipo de sofredores imaturos , indolentes e incautos que o mestre Jesus se dirige. Ele utiliza-se de meios hábeis

para atingir os diversos corações matriculados na escola da evolução , e que há diversos renascimentos vêm treinando a arte de

amadurecer o intelecto, a moral, o sentimento e a prática do viver e conviver.

Estes seres humanos , em especial já aprenderam que o pior sofrimento não é a privação de liberdade , conforme padecia a

nação judaica...nem era a carência alimentar, de roupas ou de abrigos. Estes sofrimentos afligiam diretamente a perecível

matéria (carne fraca , condicionada pelos cinco sentidos ) ,porém uma vez advindo a morte que liberta o espírito este , qual

pássaro liberto de gaiola, sairia ignorante ou sábio , conforme o alimento moral e intelectual recebido e realmente incorporado .

O pior sofrimento , sem sombra de dúvidas , é o promovido pela ignorância ( o não conhecimento da verdade)...

O desconhecimento de que somos espíritos imortais , gozadores de livre-arbítrio ,artífices responsáveis pela construção de nosso

destino , faz com que acreditemos que só se vive uma vez, e que talvez não haja um amanhã , e que Deus seja apenas uma

crença...por isso , este homem insensível e ignorante se entrega a todos os prazeres possíveis e imagináveis , afim de se

embriagar e se esquecer das durezas desta vida.Na prática deseja o paraíso aqui, agora e já !

Como cultiva a ignorância , quase propositadamente, ao agir em busca de seus interesses , age contra os interesses de outros ou

da sociedade em que está incluindo. Seus pensamentos, atos, palavras e omissões desencadeiam conseqüências que são como

sementes a esperar por eclodir nesta vida ou em vida próxima...quase sempre na forma de dor, privação, conflitos ,sofrimento...

Seu sofrimento se agrava ainda mais , pois ao entregar-se voluptuosamente à busca de satisfação dos cinco sentidos , como

naufrago que bebe a salobra água do mar para saciar a sua sede, mais sedento se torna , num ciclo viciosos sem fim ... e a sua

insatisfação , uma vez logrado seu objetivo inicial , o leva a mais insatisfação. Se sonha com um carro ,logo após o comprar com

sacrifícios das pesadas prestações, goza-o momentaneamente , para em pouco tempo sonhar com carro mais confortável,

potente e de aparência mais galante...se sonha com o amor, após sofrer pela conquista, acomoda-se e sofre por não conseguir

manter o mesmo clima da época de enamorado...Quem tem uma forte insatisfação produz resultados desastrosos em sua vida!

A insatisfação confunde sua mente e ele confunde a busca da felicidade (compreensão profunda da vida) com a alegria fugaz e

permanente do prazer. Muitos desfrutam do prazer de morar em altos arranha-céus, mas profundamente infelizes ao ponto se só

poder dormir com antidepressivos...como se vê felicidade e prazer não são sinônimas.A consciência reta, a fala correta, e o reto

proceder ,promovem um modo de vida correto e uma retidão de viver...isto é ser feliz, mesmo diante de situações de extremo

sofrimento como a fome , a sede , a guerra a exploração econômica (pois estas são transitórias, mas a felicidade é duradoura e

carregamos de uma vida para outra por dentro da alma);

Outros sofrem a dor do apego ... Quando as circunstâncias forçam o afastar-se do objeto de dependência, de devoção , este

desapego compulsório gera uma dor lancinante , fragmentando a alma em mil pedaços, espalhados pelo vento que nbem a cola

da mais poderosa ilusão pode rejuntar e rearrumar.O iludido apegado , projeta fora de si sua real fonte de paz ...mas como

reconhecê-la se sempre esquivou-se de confrontar a realidade última da imortalidade espiritual? Aliás o espírito é sempre a

última fonte a ser buscada, como Deus é o último pronto-socorro a ser solicitado (quando todas as traquitanas de ilusão falham);

Outros sofrem por terceiros, na figura de pai, mãe, filhos, parentes, amigos...cada um com um problema ou uma obsessão a

minar forças e resistências , até que encontre uma mão amiga a erguer e apontar para a direção da verdadeira e última

liberdade , que é a iluminação pela vivência prática das leis de Deus, expostas pelos mestres de todos os tempos e

exemplificados pelo mestre Jesus;

Outros sofrem das tentações , dos desejos ocultos e das pulsões psicológicas trazidas de vidas pretéritas que só encontrarão cura

através da tenaz e persistente auto-disciplina da compreensão de si mesmo , onde reside o espírito imortal, filho de deus e fonte

a irradiar luz divina (luz do mundo) e sabor insubstituível ( sal da terra).Somente através da meditação nas fraquezas e potenciais

se encontrarão as pistas que conduzem à saída dos labirintos da alma ( que há milênios jornadeia na rebeldia egoística do auto-

agarramento e idolatria ao si mesmo).

Ao exclamar que eram “bem aventurados os que choram , porque serão consolados”,o amado Mestre Jesus estava a garantir que

as futuras gerações entenderiam não apenas as leis que regem a evolução espiritual , isto é compreenderiam que os

renascimentos múltiplos explicavam porque muitos estavam a colher os amargos frutos amadurecidos de suas sementeiras de

vidas pregressas...estava afirmando que muitos eram dignos, e estavam se libertando , ao mesmo tempo estavam se

candidatando para tarefas mais nobres em vindouras reencarnações...Mas estava também a demonstrar que a justiça de Deus se

cumpria ,não esmagando seus filhos incautos , sem sabedoria e sem experiência moral.Seus filhos recalcitrantes iriam ter novas

oportunidades em novos renascimentos ,colhendo segundo o que plantaram...cada um segundo suas obras, pelas leis de causa e

efeito até pagarem o último centavo da lei, saindo então da prisão.A vida é maior que a aparência ilusória do viver...

Eram bem aventurados, pois daquele ponto em diante, os convidados devidamente trajados de boa vontade e esforço correto.

Teriam as informações preciosas e auspiciosas para libertarem-se definitivamente da roda de renascimentos, abrindo os olhos

para a realidade e criando causas e condições para renascimentos cada vez mais iluminados, familiarizando suas mentes com o

justo , o nobre e o verdadeiro...Será que nós já estamos dispostos a acordar para as verdades libertadoras do evangelho de Jesus?

Se você gostou deste episódio, não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais .Ajude a divulgar a mensagem do

Cristo , iluminando corações : http://terraespiritual.org

.....................................

Não deixe  de compartilhar com seus amigos das redes sociais nosso  áudio-projeto “ O Evangelho Comentado de Jesus”. Aproveite e ouça também os episódios anteriores . Você vai gostar.Pode Acreditar!

 

 

 

 
Joomla SEO by AceSEF