29 - A Lei e os Profetas PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

Introdução-Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

                                 

Episódio 29 : “ A Lei e os Profetas”

Baseado no Evangelho de Mateus 5:17-20

 

“Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas: não vim revogar, mas dar-lhe cumprimento. Pois em verdade vos digo: até que o céu e a Terra caduquem, de modo algum caducarão,nem um “ i” , nem um “til” da Lei ,até que tudo seja cumprido...Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus.”

COMENTÁRIOS: O amado mestre Jesus  continuava com seus  discípulos, seguidores  ,simpatizantes e mesmo os adversários das idéias, como os fariseus de outras escolas rabínicas, e os adversários gratuitos, mordidos por  inveja indisfarçável , num banquete  espiritual que a humanidade chamaria de “ o Sermão da Montanha” .

 

De início, ele começa por auscultar todos os pensamentos daqueles que o viam e o julgavam como sendo irreverente para com as tradições deixadas por Moisés : ele não seguia um jejum como era prescrito ; peregrinava  a fazer preleções ainda   que fosse no Sábado, consagrado ao descanso ; seus discípulos não  lavavam as mãos de forma  ritualística ; e ele falava com gente do povo que era considerada como escória da sociedade , como meretrizes, leprosos e oficiais romanos. Então que espécie de homem, santo ou profeta seria ele? No mínimo ele contrariava tudo o que se acreditava sobre  os ensinamentos deixados por Moisés...

 

 Por isso , inicia ele  , como quem percebe  que há dentre a multidão que o julgue um conspurcador das leis mosaicas...porém , logo ele faz uma advertência , chamando atenção para a sua condição prática de um profeta, aquele que fala e faz em nome de Deus: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas: não vim revogar, mas dar-lhe cumprimento.”

 

Não bastava apenas  falar de Deus, citar a lei  , falar  das maravilhas que o Senhor Deus operava no passado ou apontar o caminho para que  os outros seguissem...ele Jesus , mais do que isso falava do amor de Deus , apontava o caminho , andava neste caminho e  demonstrava   como  Deus operava  hoje  nas vidas do povo através dele e da verdadeira fé.Jesus demonstrava que o verdadeiro espírito da lei e  não as letras nela contida é que levariam o homem à libertação dos condicionamentos de dor e  sofrimento.

 

Ele , Jesus ensinava com sua oratória e seu exemplo  qual a melhor opção para fugir de infortúnios e más conseqüências das ações não refletidas. Toda a Lei  de Deus poderia ser resumida nos dez mandamentos de amor ao  criador e ao  semelhante, através  de uma atitude consciente, pacífica  , não violenta...mas isso não era suficiente. Não bastava  apenas , não furtar,não mentir , não adulterar , não cobiçar, não matar , nem voltar-se contra Deus...

 

Jesus trazia o complemento desta lei...Era preciso renunciar a si mesmo ; era preciso priorizar a reconciliação com o próximo ; era fundamental prestar assistência aos órfãos, viúvas, desnudos e cativos ; era preciso perdoar as ofensas ; era preciso orar pelos perseguidores para que estes encontrem o caminho do equilíbrio e da paz abdicando assim do caminho do mal e acima de tudo era necessário ter uma relação menos material e mais espiritual com Deus sem sacrifícios  , mas rica em misericórdia...menos materializada de rituais e mais baseada  em espírito e verdade...

 

Esse complemento à Lei da Torá ,só era possível de ser entregue  aos homens  nesta época em que o amado mestre Jesus chegava aos homens...se fosse entregue no tempo de Moisés , com certeza o povo selvagem , bárbaro , recém saído da casa da servidão do Egito  não poderia compreender , muito antes pelo contrário as desprezaria...como seria possível relacionar-se com um deus invisível , sem nome  e sem rosto que não fosse com altares e tabernáculos , rituais e  sangue de novilhos e bezerro  espargido sobre  o povo , conforme  deixou  escrito para os sacerdotes que  mantivessem a tradição?

 

Falar de amor e paz, concórdia e perdão a um povo ávido por sangue de conquista  de territórios numa terra prometida , jamais  conseguiria  solo fértil para se desenvolver nesta época. Porém as areias do tempo passariam céleres pela ampulheta da vida , e o sofrimento amoleceria a dureza dos corações...

Séculos mais tarde , as sementes do evangelho encontraram o coração do homem  mais sensibilizado para criar raízes e se desenvolver . As tenras plantinhas precisariam de mais reencarnações para fixar solidamente  e gerar os primeiros ramos  de sinceridade para com as leis de Deus...

 

Não importasse quanto os homens se unissem para conspirar contra o evangelho , não importasse o quanto conspirassem até mesmo em se unindo num movimento político chamado cristianismo romano , que ensinassem regras , dogmas , ou crenças  diferentes das ensinadas pelo doe rabib da Galiléia..o  Céu e a Terra passariam , mas não passariam  as coordenadas, as orientações, as leis de Deus. Quem as seguisse seria pelenificado.

 

Certamente seriam muitas as tentações do caminho a desviar  a atenção e a priorização espiritual dos convidados pelo santo mestre...mas é ai que reside o teste de fidelidade , o teste de fé. Não uma fé no sentido de acreditar nos ensinamentos, mas no sentido de ter entranhado na alma todo o sentido da verdadeira vida  espiritual , ainda que habitando num temporário corpo de carne. Por esta fidelidade e por esta fé , milhares  de cristãos morreram nas garras e mandíbulas das feras do circo romano  num dantesco espetáculo , sendo devorados enquanto cantavam hosanas de alegria e enlevo espiritual por ter entendido a mensagem do  Cristo Jesus...

 

Os séculos passaram e se tornaram milênios...e os milênios trouxeram uma modernidade hipinótica e devastadora dos princípios de humanidade e moralização do homem, da família e da sociedade...guerras , latrocínios, corrupções e atitudes terorristas nos quatro cantos do mundo já não chocam mais como no passado....porém as leis de Deus continuam tão válidas hoje como ontem...

 

Cada um de  nós , que foi agraciado pela faculdade de pensar e refletir, observar e comparar, de ponderar e de decidir é chamado , de momento a momento , a escolher  o que fazer da vida e que rumo tomar, que atitude  realizar...porém , aqueles que têm contato com o evangelho do Cristo , as leis de amor explicadas  em sua máxima demonstração , não poderá dizer que não sabia ou que não entendeu...

 

O resumo é simples: amar, compreender, trabalhar , perdoar, renunciar  e servir...

 

O que fazer daí para frente? Como se comportar perante  o choque de um mundo que agoniza no materialismo hedonista    contra uma realidade espiritual  que  espera pelo amadurecimento espiritual de cada um de nós?

 

Aquele que pode perceber a realidade espiritual não poderá ensinar diferente ...não existe  dubiedade na palavra amor,perdão....do mesmo modo como não existe dubiedade nas palavras misericórdia e justiça. A misericórdia e justiça pertencem à esfera divina...somente as leis de Deus julgarão as intenções e atitudes dos homens...mas o homem pode aprender a amar, compreender, trabalhar , perdoar, renunciar  e servir...começando por si mesmo , passando para a família e sociedade.

 

Quem ultrapassar estes limites éticos e morais do evangelho , ou se omitir diante do muito trabalho a realizar na construção de um mundo novo e melhor ,prestará contas não apenas à própria consciência, mas principalmente às leis de Deus que são misericordiosas...mas justas.

 

O amado mestre Jesus deixa um recado para aqueles que têm olhos  de ver e ouvidos de ouvir, referindo-se às leis cármicas  de evolução.“Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.”.

 

Notem que todos entraremos no reino dos céus, mas que de maneira alguma  nossos erros e desvios passarão impunemente. A lei da meritocracia , isto é  “ a cada um segundo suas obras e capacidade” enquanto pode ser burlada na terra , é regra no plano espiritual.

 

Aqueles indignos displicentes com as leis de Deus encontrarão pessoas  de pequeno coração, serão reconhecidos como “ menores” , enquanto que os esforçados, os trabalhadores, os obedientes, os  disciplinados, por realizarem grandes mudanças na consciência e no coração, serão chamados de  “grandes” .

 

Cada um deles continuará as lutas espirituais de conquistar novas melhorais individiduais e todos continuarão a aprender a corrigir desvios grandes e pequenos até a plena perfeição, chamada pelo cristo de “ salvação” ou cura do egoísmo , orgulho e narcisismo...

 

 Nenhuma ovelha se perderá do rebanho confiado ao Cristo pelo  Pai Celeste , mas nada acontecerá por acaso e sim fruto de muito esforço e dedicação pessoal à priorização do autoconhecimento e da autotransformação.

 

O Cristo amado  trouxe uma mensagem de salvação dos labirintos do sofrimento  não através de uma confiança ou obediência cega na figura dele, nos seus poderes milagrosos ou em sua retórica espiritual. Ele demonstra ser o modelo do homem perfeito e integrado em pensamento com o Pai Celestial.

 

 

Lembremos que se a nossa justiça não for  muito superior  à dos fariseus  e dos mestres  da lei  , de modo algum seremos dignos de entrar no reino dos céus...

 

........

Se você gostou  deste episódio , não deixe de ouvir os outros desta série “ O Evangelho Comentado de Jesus”  ou os outros áudios que podem ser ouvidos  em nosso site  em http://terraespiritual.com.br

 

Colabore divulgando nas redes sociais e ajude outros a serem luz no mundo e sal da terra....

 


 

 

 

 
Joomla SEO by AceSEF