34- " Amor aos Inimigos" PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

     

 

 

 

Introdução-Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire

 

                                 


O EVANGELHO DE JESUS: Episódio 34 : “Amor Aos Inimigos”
(baseado no Evangelho Segundo Mateus 5:43-48 e Lc 6:27-36)



“Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;

Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.


E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.


E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também
assim?


E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo.


E se emprestardes àqueles de quem esperais tornar a receber, que recompensa tereis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para tornarem a receber outro tanto.


E se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam.


Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.


Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?

Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.


Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.”


COMENTÁRIOS : Na continuação deste sermão aos pés do monte , o amado Mestre Jesus começa a explicar sem meias palavras, sem parábolas ou sem segundas interpretações o que seria o coração de sua missão e o cerne da “Constituição do Reino de Deus”: A Lei de Amor.


Jesus está convidando os seus discípulos e simpatizantes a abandonarem qualquer emoção ,pensamento, sentimento ,ou intenção de raiva, rancor, ódio e vingança para com seus adversários ou antipáticos , para que livres do pecado da ignorância espiritual conseguissem mais do que ser iguais ao seu mestre e rabib , Jesus...ele estava convidando a ser misericordioso e perfeito como o Pai Celestial.


Seus ouvintes percebem quem em suas mentes, corações, inteções e atitudes há uma distância quilométrica que os separa do doce nazareno.Mas para o poeta galileu a distância é ilusória , do tamanho de uma vontade ativa de renunciar ao mal,ao rancor, ao egoísmo ,ao orgulho , à vingança e ao pensamento mal.


Largando as armas de comparação e de duelo mental , o homem estará com as mãos livres para ascender verticalmente à montanha da evolução que leva ao Sinai da redenção onde o filho arrependido se encontra de novo na presença do Pai Celestial.


Os discípulos e simpatizantes sinceros sabem que podem até não entender esta mensagem , a princípio , ou podem até não concordar por estarem condicionados à doutrina do “olho por olho”...porém , orque estão sinceramente cansados do sofrimento desnecessário e ansiosos por dias de paz profunda e renovação existencial, ouvem atentamente o Mestre Jesus , e comovidos esperam por em prática os ensinamentos,


Todos sabemos de como é difícil perdoar quem nos fez mal ,nos humilhou , nos perseguiu , nos difamou, nos prejudicou ...Por isso , o meigo rabib começa sua explanação relembrando as tradições da “Lei deTalião” do “olho por olho, dente por dente” que o profeta Moisés adaptou dos babilônicos , para governar a tribo bárbara de hebreus recém libertos do cativeiro egípcio.


O Mestre Amado pede-nos para esquecer este princípio de vingança na lata do lixo moral e adotarmos o princípio de reconciliação conosco mesmo e com nossos adversários. Mais do que perdoar os inimigos,pede-nos para amá-los!


O amor e o ódio gravitam simultaneamente na mente dos seres humanos...ora predomina um , ora predomina o outro, gerando comportamentos às vezes contraditórios. Porém , como Deus é amor , misericórdia , justiça, e perfeição , todos nós somos seus filhos (bons e maus) ,deveríamos nos esforçar para ser sua imagem e semelhança.


Sua misericórdia e sua justiça se distribuem igualmente sobre justos e injustos , fazendo descer o sol ( com seu forte calor responsável pela aridez do solo, e seca) e fazendo chover ( trazendo boa colheita e fartura) sobre ambos… Se Deus, que é nosso Pai Celeste é benigno para com os maus e ingratos , então , não deveríamos utilizar o Pai Celeste e os exemplos do amado Mestre Jesus como régua para
medir o certo e o errado em nossas vidas?


Claro , que o doce nazareno sabe que não se pode amar um inimigo da mesma forma que se ama um amigo…Claro , que o mestre inesquecível entende que nosso coração não bate da mesma forma quando vê um aliado e um rival…Claro que a ternura de um amigo é bem diferente da de um adversário…A confiança não é a mesma !


O que o Cristo Amado nos pede é “fazer das tripas coração” e tentar compreender a imaturidade, a infantilidade de nossos adversários ( cheios de ignorância do bem ,condicionamentos do passado, traumas e frustrações existenciais, ) da mesma maneira que um pai ou uma mãe amorosa olharia para um filho rebelde , desequilibrado, fútil , inconsequente e sem juízo desenvolvido. Assim,movidos pela caridosa compaixão ,nossas entranhas se desarmariam de ódio ,raiva,rancor e sede de vingança e se enterneceria com a piedade compassiva.


Sem estarmos estimulados por sentimentos destrutivos de retaliação ,poderíamos perceber o quanto somos abençoados por estar tentando sintonizarmos com o nosso amoroso Pai Celestial e lamentar que outros filhos não tenham a mesma vocação e prioridade.


Logo , “amar os inimigos é não lhes guardar ódio, nem rancor, nem desejos de vingança; é perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem condições, o mal que nos causem; é não opor nenhum obstáculo à reconciliação com eles; é desejar-lhes o bem, e não o mal; é experimentar júbilo, em vez de pesar, com o bem que lhes advenha; é socorrê-los, apresentando-se ocasião; é abster-se, quer por palavras, quer por atos, de tudo o que os possa prejudicar; é, finalmente, retribuir-lhes sempre o mal com o bem, sem a intenção de os humilhar. Quem assim procede preenche as condições do mandamento: Amai os vossos inimios.”


Para os descrentes e os escravos do paraíso do“aqui e agora” , as palavras do Cristo são loucura e contrassenso, pois se deve aproveitar muito esta vida e“passar por cima de tudo e de todos”,pois os“fins justificam os meios”. Nada de perdão ou tolerância e sim na satisfação do narcisismo e vaidade, pois acreditam que “só se vive uma vez”


Para os sensíveis, crentes e aspirantes ao Reino de Deus, isto é ,desejosos da paz profunda em seu coração onde quer que estejam e com quem quer que estejam ,o entendimento é bem diferente. Sabem que esta vida é uma passagem , um campo de treinamento e aperfeiçoamento moral e de desenvolvimento de percepções, hábitos e habilidades espirituais superiores que possibilitem trabalhar a serviço de Deus-Pai como fazedores da paz, construtores do Bem , cartas vivas do Cristo aos Homens.


Logo , sabem que se sofrem , grande parte se deve aos seus erros e más escolhas desta vida ou das passadas e que podem suportar provas , injustiças e perseguições com a armadura da confiança autêntica e inabalável em Deus , com os lombos cingindos com o cinto da verdade e vestidos com a couraça da justiça , com o sapatos do evangelho da paz , com o escudo da fé , o capacete da salvação e a espada da verdade de Deus ( Ef 6:10-17).


Os homens e mulheres de boa vontade sabem que os maus podem ofender-lhes a moral ,difamá-los e até mesmo atentar contra seus perecíveis corpos... é bem maior e o espírito é imortal e a tudo sobrevive.Logo , nada temem!


O destino do estudante paciente e do servo às verdades eternas é a busca da libertação da ignorância, da maledicência e do mal que abrigamos em nosso peito por idolatria à nossa vaidade, orgulho e egoísmo...destronando Deus de nossas vidas, advindo daí toda sorte de sofrimento desnecessário e criando a roda de renascimentos para aprendermos a amar.

Por isso, não deixa para aprender a perdoar e compreender para a próxima reencarnação...começa logo hoje, aqui e agora e já !Vê no ofensor um infeliz, tresloucado, desorientado e desnorteado...não um inimigo que deva destruir.


Assim, cheio da caridosa compaixão, aprende a orar, abençoar e desejar paz profunda e prosperidade espiritual e até material ( de forma honesta) , alegrando-se por suas conquistas e libertações. Não se recusa a saudar ou reconciliar...mantendo , todavia , o espírito de ser “manso como as pombas e prudente como serpentes”(Mt 10:16)


Quando perseguido, injuriado e sentindo-se sem forças, o aspirante sincero a ser discípulo do amado mestre Jejus não reclama das provas e nem de seus adversários...pelo contrário, silencia a mente, o coração e os lábios para agradecer a Deus pelo teste que pode fortificá-lo e promovê-lo a um degrau superior de compreensão e solicita paciência, resignação , discernimento e sabedoria para agir sem provocar nenhum mal a quem quer que seja.


Mesmo quando o próximo é um familiar ou parente , temos que usar a lógica do Cristo ( da mansidão e prudência) e perdoar com a sabedoria e caridade compassiva. Pode faltar discernimento ao nosso irmão parente ou amigo e este volte a recalcitrar no mal nos ofendendo novamente...somos convidados pelo Cristo não a nos tornarmos “ saco de pancada” , mas sim não retaliar, vingar ou devolver o mal com o mal ...mas antes perdoar “setenta vezes sete vezes” , conforme podemos conferir em Mt 18:21-22.


Temos que ter a mansidão e prudência de saber como falar e quando calar , como agir e quando não reagir , afim de não criarmos vínculos de desarmonia, desafetuosidade e vincularmos carmicamente por vários renascimentos até que a fraterna compreensão quebre as algemas imprudentemente colocadas e  nosso braços numa união quase siamesa. Como sempre...o amor é o melhor caminho.


Se os não adoradores do Deus único ,publicanos e pecadores pagãos, isto é , não judeus , tem uma
relação social humana normal: amam a seus amigos, saúdam seus irmãos, prestam benefícios aos que os ajudam,
emprestam quando tem certeza de que receberão ressarcimento ... Ser igual a eles, não é meritório ou especial. Os convidados pelo Mestre Amado ao Reino dos Céus deviriam ser mais conscientes e ter uma conduta mental e prática superior, mais perfeito, com bondade , compaixão e misericórdia suprema.


Com a prática de renunciar a si mesmo e carregar sua cruz de deveres e obrigações , vai ganhando humilde tolerância ,mansidão e paciência ,manifestando expontânea generosidade,altruísmo e perdão , não se sentindo ofendido ,por pior que seja o agravo , pois lamenta pelo agressor , que feriu antes as Leis de Deus e a si mesmo.


Mas toda essa revolução na jornada espiritual começa com o primeiro passo...querer! Será que queremos ?


Podemos nos libertar através deste profundo ensinamento do amado Mestre Jesus ...ou no aprisionarmos ainda mais nas teias das desnecessárias vinganças ,contendas e disputas...vida após vida !No final, todos nos abraçaremos, pois , como nos prometeu o doce nazareno “nenhuma ovelha se perderá do rebanho de Deus”.



Não deixe de compartilhar com seus amigos esta preciosa série “ O Evangelho Comentado de Jesus”….envie o link deste audio para alguém que possa estar precisando de uma mensagem de fé, esperança e renovação. Aproveite e conheça outros audios em http://www.terraespiritual.com.br e ajude a espalhar amor , sendo você sal da terra eluz no mundo.

 


 

 


 

 
Joomla SEO by AceSEF