Ev03-João e os Essênios PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

 

     

 

Introdução: -Luiz Claudio Barsoteli

Narração: -Samuel Chaves

Música Incidental: Jesus , Joy of Man's Desire( Sissel Kyrkjebo)

 

 

 


 

O EVANGELHO DE JESUS:  JOÃO E OS ESSÊNIOS

(Baseado no Evangelho Segundo Lucas1:57-80)

E completou-se para Isabel o tempo de dar à luz, e teve um filho. E os seus vizinhos e parentes ouviram que tinha Deus usado para com ela de grande misericórdia, e alegraram-se com ela. E aconteceu que, ao oitavo dia, vieram circuncidar o menino, e lhe chamavam Zacarias, o nome de seu pai. E, respondendo sua mãe, disse: Não, porém será chamado João. E disseram-lhe: Ninguém há na tua parentela que se chame por este nome. E perguntaram por acenos ao pai como queria que lhe chamassem.E, pedindo ele uma tabuinha de escrever, escreveu, dizendo: O seu nome é João. E todos se maravilharam. E logo a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; e falava, louvando a Deus. E veio temor sobre todos os seus vizinhos, e em todas as montanhas da Judéia foram divulgadas todas estas coisas. E todos os que as ouviam as conservavam em seus corações, dizendo: Quem será, pois, este menino? E a mão do Senhor estava com ele. E Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo, e profetizou, dizendo:Bendito o Senhor Deus de Israel, Porque visitou e remiu o seu povo,E nos levantou uma salvação poderosa Na casa de Davi seu servo.Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo;Para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam;Para manifestar misericórdia a nossos pais, E lembrar-se da sua santa aliança,E do juramento que jurou a Abraão nosso pai,De conceder-nos que, Libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem temor,Em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida.E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos;Para dar ao seu povo conhecimento da salvação, Na remissão dos seus pecados;Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou;Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. E o menino crescia, e se robustecia em espírito. E esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel.

COMENTÁRIOS: Nos últimos anos , a counidade de arqueologistas e historiadores do cristianismo primitivo vêm dedicando atenção à pesquisa de certas personagens que influenciaram direta ou indiretamente no movimento cristão. Uma destas figuras é a de João Batista , o úlimo profeta , antes de Jesus. Acredita-se nos dias de hoje que ele teria nascido na região de Aim Karim ,cerca de 10 quilômetros de distância de Jerusalém.

Como teria nascido alguns meses antes do amado Mestre Jesus , calcula-se que o seu nascimento teria ocorrido entre os anos 7 a 4 antes da era comum. Zacarias e Isabel eram ambos da tribo de Levi e também eram descendentes de Arão , o primeiro sacerdote e irmão deo libertador Moisés. Eram tidos como justos , isto é, destacadamente virtuosos e diferentes dos costumes comuns de sua época, reservando suas vidas os cultos religiosos e dedicação emocional e espiritual ao criador e à ética religiosas da Torá.Por serem tão dedicados à causa religiosa e pela pureza de coração , lhes é atribuído a paternidade ao maior de todos os profetas antes do amado Mestre Jesus:João Batista.

Tal pureza de seus pais , e tal vida distanciada dos costumes exteriores e vazios dos saduceus e fariseus , terminaram por vincular o casal , Zacarias e Isabel à seita dos essênios...um ramo fariseu dedicado totalmente à vivência da Torá em sua pureza, a tal ponto , que se isolaram no deserto , para não se contaminarem com a vida profana, mundana e perniciosa do povo da cidade grande de Jerusalém. A comunidade dos essênios começou a ser formada há mais de cem anos antes da era comum , quando a sociedade israelita, sob o governo legítimo dos Macabeus começou a se acomodar a costumes religiosos mais frouxos e liberais , mesmo entre os fariseus e saduceus.

Contudo, o historiador da antiguidade , Flávio Josefo ,antigo zelota capturado e convertido em colaborador do Império Romano , descreve que além dos saduceus e fariseus havia , na Jerusalém dominada pela águia do Império Romano e sob forte influência da cultura grega (progressista, racional, pagã , filosófica e cética), outros grupos religiosos , pequenos por sinal , que formavam comunidades próximos à cidade sagrada ,que buscavam resgatar o valor dos assuntos espirituais: os essênios.

Segundo Flávio Josefo em seu livro “ História dos Hebreus”: Os essênios atribuem e entregam todas as coisas, sem exceção, à providência de Deus. Crêem que as almas são imortais, acham que se deve fazer todo o possível para praticar a justiça e se contentam em enviar suas ofertas ao templo, sem ir lá fazer os sacrifícios, porque eles o fazem em particular, com cerimônias ainda maiores. Seus costumes são irrepreensíveis e sua única ocupação é cultivar a terra. Sua virtude é tão admirável que supera de muito a de todos os gregos e os de outras nações, porque eles fazem disso tudo o seu empenho e preocupação, e a ela se aplicam continuamente. (…) Possuem todos os bens em comum, sem que os ricos tenham maior parte do que os pobres: seu número é de mais de quatro mil. Não têm mulheres, nem criados, porque estão convencidos de que as mulheres não contribuem para o descanso da vida. Quanto aos criados, é ofender à natureza, que fez todos os homens iguais, querer sujeitá-los. Assim, eles se servem uns aos outros e escolhem homens de bem da ordem dos sacrificadores [de linha sacerdotal], que recebem tudo o que eles recolhem do seu trabalho e têm o cuidado de dar alimento a todos."

Há até uma porta em Jerusalém chamada de “ Porta dos Essênios”. Os essênios valorizavam a vida em comunidade, repartiam as tarefas e os bens eram de uso comum , porém sem luxo, ostentação e vaidade. A pobreza era tida como voto fundamental, em respeito à humildade e ao desapego dos bens terrenos , que acabam por corromper o orgulho, o egoismo e a vaidade.

Os essênios eram conhecidos por terem habilidades na área da assistência fraterna e na dedicação às curas espirituais e materiais. Por isso , os termos "essenoi", em grego, e "esseni", em latim, são traduzidas como "aqueles que curam", o que seria uma referência a atividades parecidas aos milagres atribuídos a Jesus. Outra prática muito valorizada a purificação pelos banhos diários , a fim de que pudessem se tornar instrumentos divinos na melhoriua da comunidade. Também era uma expectativa da seita essênia a espera por um dia em que os filhos da luz e os filhos das trevas teriam um embate e o Bem venceria o Mal em definitivo.Para esse fim , os essênios esperavam pelo aparecimento de três messias: um messias profeta, um messias sacerdote e um messias de Israel ( descendente de Davi)...Em Jesus ,os três messias se reuniriam numa só pessoa.

Os essênios , acredita-se , foram extintos pelo exército Romano em torno do ano 70 da era comum ,próximo da destruição de Jerusalém e seu templo, pois eram vistos como perigo em potencial , segundo a crença dos centuriões romanos, assim como os zelotas , por viverem afastados no deserto e provavelmente , poderiam arquitetar planos contra as legiões romanas no futuro , ameaçando a “pax romana” .

Em 16 de Agosto do ano de 2004 , o arqueologista Shimmon Gibson anunciou ter descoberto no atual Kibbutz de Tzuba , cerca de 11 quilômetros a oeste de Jerusalém e distante de 4 quilômetros de Aim Karim , cidade natal de João ,o que provavelmente seria a caverna onde João Batista realizava suas cerimônias de purificação batismal. Também é surpreendente o fato de após entrar na caverna se depara com gravuras ,cravadas nas paredes ,de um homem ventido com uma tanga de couro , com um dos braços elevados, como que a proclamar alguma coisa , enquanto que sua outra mão segura um bastão.Noutro canto pode-se ver cruzes cristãs e em outro , de forma isolada , apenas a cabeça de um homem. Juntando-se aproximidade de sua terra natal com estes desenhos ,o fato de que na caverna havia cravada na rocha por mãos humanas um local para se colocar o pé direito e ao lado um local para colocar uma ânfora d'água , os historiadores e arqueologois concluiram que se tratava provavelmente de uma caverna para rituais de batismos de João Batista ou a ele dedicada. A caverna teria sido o local onde João desenvolveu sua teologia de puruificação , antes de aplicá-la totalmente no Rio Jordão, onde teria muitos dicípulos e entre eles , seu primo Jesus.

Todavia, a cidade de Aim Karim não é descrita nas escrituras como sendo a cidade natal.Nenhuma cidade é nomeada...Ela é fruto da tradição oral.Mais importante é que após nascer , a família de João vai com ele para o deserto , numa provável referência às comunidades retiradas e dedicadas à vida de purificação , como os essênios.É notória a semelhança entre a pregação de João Batista nos evangelhos com as regras da comunidade essênia no deserto , quando diz:”“E quando essas coisas sucederem aos membros da comunidade de Israel, no tempo designado, separar-se-ão da habitação dos homens perversos e irão para o deserto preparar o caminho do Senhor, como está escrito: No deserto preparai o caminho do Senhor, endireitai no deserto a estrada para nosso Deus” (Manuscrito de Qumram Rolo 1 , Cap8 versículos12-14).

Segundo estudiosos, o local onde João Batista , já profeta , batizava , ficava um pouco antes da embocadura do Mar Morto, cerca de 15 quilômetros de Qunram. O deserto era considerado um local de renovação da alma , de encontro com Deus , para separação dos devotos para com os ímpios e oportunidade de conversão.

Zacarias e Isabel, de alta espiritualidade e de linhagem sacerdotal afastam a criança recém-nascida da comunidade judáica comprometida com as trevas, sob jurisdição dos sumos sacerdotes Anás e seu genro Caifás ( futuro algoz do amado Mestre Jesus) e provavelmente o acompanha na sua esmerada educação com os essênios , que esperavam ansiosamente pela chegada do “Mestre da Justiça”.

Zacarias e Isabel por serem idosos, sabiam que poderiam contar com a ajuda dos irmãos essênios na educação religiosa e preparação de seu filho, João , caso morressem. Segundo o historiador judeu Flávio Josefo ,”os essênios não fazem questão em se casar pelo matrimônio, mas adotam crianças, quando estas são flexíveis e aptas à aprendizagem. Consideram-nas como parte de sua família e as criam segundo suas próprias maneiras” ...Os cuidados e a educação de João estavam garantidos.

Logo após o início de sua missão , o jovem João, filho de Zacarias e Isabel , deve ter iniciado sua proclamação do “ Reino dois Céus” , e com sua utoridade e poder de Elias, deve ter arrebatado vários discípulos que iam se purificar em sua caverna batismal. Porém com o aumento de sua procura, a caverna já não seria suficiente...era agora necessário o Rio Jordão , para satisfazer as necessidades ritualísticas.

Contudo , a história ainda está vindo para a claridade...por hora, devemos ser cautelosos em afirmar que João, o batizador, era membro da comunidade de Qumran.

Se você desejar ver alguns detalhes dos achados arqueológicos do Dr Shimmon Gibson sobre a caverna batismal de João Batista , veja em nossa página no facebook em https://www.facebook.com/PodcastPodacreditar .

 

 
Joomla SEO by AceSEF